Tecnologia

Japão avança nas pesquisas sobre monitores deformáveis

Japão avança nas pesquisas sobre monitores deformáveis

Para ampliar as possibilidades de experiências na visualização de vídeos, o centro de estudos NHK STRL tem trabalhado duro no desenvolvimento de monitores deformáveis ​​− telas altamente flexíveis, que podem ser dobradas, enroladas e esticadas para caber em tetos ou paredes curvas.

Segundo os trabalhos do pesquisador Masashi Miyakawa, do  NHK Science & Technology Research Laboratories, no futuro poderemos contar com telas que oferecerão aos espectadores experiências totalmente imersivas, como se estivessem sempre na primeira fileira do cinema.

“O conteúdo que você curte em uma tela grande na sua sala de estar poderá ser visto com a mesma facilidade em uma tela portátil flexível, que pode ser enrolada ou dobrada como um jornal. Nas ruas, talvez dentro do seu carro autônomo, você será cercado por imagens exibidas por uma tela no teto, fazendo uso efetivo de várias formas e superfícies 3D dentro do seu veículo”, descreve Miyakawa.

Como a aplicação de telas deformáveis ​​exigirá a substituição dos substratos de vidro rígido das telas convencionais por substratos elásticos deformáveis,o NHK STR está investigando como os transistores de película fina (TFTs) − responsáveis ​​por controlar o brilho dos elementos emissores de luz que compõem um display − podem ser fabricado em substratos elásticos.

Os materiais elásticos, como a borracha, têm baixa tolerância ao calor e resistência química, por isso não podem ser usados ​​diretamente nos processos convencionais de fabricação de TFT. A opção foi desenvolver uma técnica na qual os TFTs fabricados em substratos resistentes a produtos químicos e tolerantes ao calor são transferidos para substratos de borracha. Esta técnica, em combinação com uma camada de adesão especialmente projetada para integração com superfícies de borracha, permite criar TFTs sobre substratos de borracha.

Além disso, foram necessárias inovações adicionais – como dividir um substrato de borracha em regiões elásticas e não elásticas e colocar TFTs nas regiões não elásticas para isolar seu desempenho da flexão e torção da região deformável, o que permitiu para fabricar as matrizes TFT deformáveis.

Testes experimentais confirmaram que o comportamento de comutação do TFT permaneceu inalterado mesmo após esticar o substrato de borracha em mais de 50%. Mas as pesquisas ainda não acabaram. “Continuamos a nossa pesquisa sobre as técnicas para fabricar dispositivos de exibição em substratos de borracha e esperamos acelerar a disponibilidade comercial de telas dobráveis, esticáveis ​​e totalmente deformáveis”, completa Miyakawa.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *